Projetos

Hotel Silken Puerta América

Madrid – España

2000

SGAESTUDIO (Autores)

Uma idéia de liberdade feita realidade, um espaço de encontro onde se unem diferentes culturas e formas de entender a arquitetura e o design. Uma obra que desperta os sentidos do hóspede, que rompe esquemas pelo uso de diferentes cores, materiais e formas. Um projeto capaz de introduzir o hóspede em espaços inovadores, atrevidos, muito diferentes aos habituais para este tipo de projeto. Um hotel, em resumo, único no mundo.

O Hotel Puerta América é uma meta colossal, um sacrifício que durou vários anos e onde chegaram a trabalhar, em alguns momentos, mais de 650 pessoas de uma vez para tornar realidade uma obra única. E, por fim, o sonho concretiza-se graças a:

Jean Nouvel – Arquiteto francês que se encarregou da fachada, da cobertura e do décimo-segundo andar, que conta com 12 suítes. Neste último espaço mistura a fotografia e a arquitetura para conseguir um lugar muito sugestivo para “viver momentos excepcionais”.

Javier Mariscal e Fernando Salas pretendem provocar diversas sensações com o seu projeto gráfico para o décimo-primeiro andar. Utilizam muitas cores, especialmente no piso dos quartos e nas paredes, com os quais e conseguem transmitir alegria e imaginação.

Arata Isozaki oferece ao hóspede um interior sutil e relaxante no décimo andar, com clara influência japonesa. A casa de banho remete a tradições típicas nipônicas: com a casa de banho e o chuveiro juntos e em madeira. Além disso, chama a atenção o soji, um painel que faz lembrar as casas tradicionais deste país, com predomínio das tonalidades escuras.

Richard Gluckman encarregou-se do nono andar, onde utiliza materiais como o metacrilato, de modo inesperado e surpreendente. O seu conceito é o de uma caixa dentro de uma caixa. Deste modo, o espaço destaca-se pela sua ordem e sensação de leveza e esmero.

Kathryn Findlay projetou o oitavo andar. A sua intenção é a de recriar um lugar de meditação onde o hóspede possa sonhar ou, como ela afirma, para escutar a brisa. A arquiteta separa os espaços apenas com cortinas brancas para conseguir um espaço muito feminino. Neste andar, Jason Bruges, designer de iluminação, criou, em colaboração com Findlay, algumas instalações de luz para o lobby e corredores que reagem à passagem do hóspede.

Ron Arad organiza o espaço do sétimo andar de uma maneira muito sugestiva e imaginativa que traça algumas linhas sobre como deve ser o hotel do futuro. Aposta por criar um percurso interno que vai descobrindo cada espaço do quarto.

Mark Newson aposta no sexto andar e no bar por dois ambientes muito modernos, relaxantes e sofisticados, nos quais joga com poucos materiais. No corredor do sexto andar, o hóspede pode ver seu reflexo nas suas paredes vermelhas de madeira laqueada. No bar propõe amplitude numa obra na qual destaca a barra de mármore, uma peça de mais de seis toneladas de peso e 8,25 metros de longitude.

Vitorio & Lucchino transformaram o quinto andar num espaço muito aconchegante baseado no seu trabalho para o campo da moda. Os desenhistas sevilhanos vestem o andar com veludos, linhos e algodões, conseguindo um ambiente cálido e aconchegante no qual o hóspede sente-se abraçado pelos tecidos.

Plasma Studio (Eva Castro e Holger Kehne) é um estúdio jovem que trata de “mudar o estereótipo do hotel como um espaço anódino” por meio de um projeto muito geométrico para o quarto andar. Este é quase um espaço de ficção científica.

David Chipperfield propõe no terceiro andar um espaço simples, mas luxuoso, onde combinam revestimentos feitos à mão, painéis de fados ou mármore branco. Destacam-se os jogos geométricos que surgem com a iluminação dos corredores, a rigorosidade das formas e o teto azul sobre a cama. Chipperfield cria a sensação de profundidade e surpresa, cuidando da combinação de cores e da iluminação, tanto no lobby e corredores como nos quartos.

Norman Foster criou no segundo andar um ambiente sereno que isola o cliente do barulho exterior. O couro é o material de mais destaque e por meio do seu uso propõe diversas sensações acústicas e táteis.

Zaha Hadid. A primeira mulher a receber o prêmio Pritzker (conhecido como o Nobel da arquitetura) desenhou o primeiro andar. Um espaço que se destaca pela sua fluidez, pelo seu jogo de linhas atrevidas.

John Pawson encarregou-se do hall e dos salões. Tratou de criar “um espaço para encontrar tranquilidade no coração do hotel”. E obtém, por meio do uso da madeira, uma proposta que oculta a recepção num semicírculo, protegendo assim outros clientes que também se encontram nesta área de bulício próprio de um lugar destas características.

Christan Liaigre combina diversos aspectos da cultura espanhola no restaurante, um espaço que oferece uma cozinha de qualidade, onde só os melhores produtos, especialmente escolhidos, têm lugar.

Teresa Sapey dá forma à garagem com um interessante jogo de cor e grafismo que “apela à parte emocional do indivíduo, mas onde a funcionalidade é a base”.

Harriet Bourne e Jonathan Bell são os autores do paisagismo. A vegetação muda segundo a estação do ano. De fato, na sua opinião “a integração entre vegetação e edifícios é fundamental”.

Arnold Chan, do Isometrix Ligthting and Design, encarregou-se da iluminação. Tratou de criar esquemas adaptados aos projetos de cada arquiteto, definindo com a iluminação cada atmosfera e o ambiente de cada espaço.

Felipe Sáez de Gordoa (SGA Estúdio). Desenvolveu o projeto da estrutura. É um arquiteto que já conhece perfeitamente esta tipologia de projetos já que trabalhou para inúmeros hotéis, e introduziu as bases do espaço sobre o qual depois operaram os demais arquitetos e designers.

Oscar Niemeyer. O brasileiro Oscar Niemeyer é um dos melhores arquitetos da história. Desenhou para o Hotel Puerta América uma escultura que se colocará no parque anexo. Trata-se de uma obra em forma de foice que remete às formas poéticas dos seus melhores edifícios.

Hotel Central + Mall

120 rooms

Vic Mall  – Victoria Properties 

Araçatuba– SP

22.000 m²

2012-2013

Desenvolvimento junto a DAVIS BRODY BOND (Autores)

Hotel Upscale + Residence

254 rooms + 54 residence units

Parque da Cidade – Odebrecht

São Paulo – SP

200.000 m²

2010-2015

Desenvolvimento junto a AFLALO / GASPERINI (Autores)

Hotel - Torre Iberdrola

Bilbao – España

50.000 m²

2006-2009

SGAESTUDIO (Autores) / Desenvolvimento junto a Cesar Pelli (Autores)

 

Como podemos ajudar?